IT Forum 365
TI híbrida

TI híbrida: 3 passos cruciais para adotá-la

Capacitar a equipe e ter um planejamento financeiro que leve em conta a transferências dos dados para a nuvem são dois deles

* Por Lynn Greiner

Organizar o orçamento raramente é um momento tranquilo no mundo da TI. No passado, o malabarismo entre as despesas de capital (CapEx) e as operacionais (OpEx) era constante. Com o surgimento da cloud pública, grande parte das despesas foi transferida para o operacional. No entanto, surgiram outros desafios, como lidar com os requisitos de conformidade e segurança da informação. Assim, ganhou força o modelo híbrido de trabalho, que mescla nuvem pública e privada, de acordo com o conteúdo que precisa ser salvo.

Uma das vantagens da nuvem é a capacidade de aumentar e diminuir rapidamente, desativando recursos conforme necessário. Mas, para isso, alguns cuidados são necessários. Isso porque, sem controles estritos de governança, incluindo políticas e automação, e um plano financeiro efetivo, os recursos de cloud que deveriam ser desligados podem permanecer ativos e, assim, gerar aumento nos custos.

Outra vantagem, é que a possibilidade de adotar o modelo “pague enquanto você cresce”, em os usuários recebem uma capacidade adicional de serviço desde o início e pagam por ela na medida que crescem. Mas, um dos maiores desafios para a TI é o tempo necessário para comprar e instalar a capacidade adicional quando necessário – processo que pode demorar semanas ou, até, meses. Isso acaba levando as empresas a colocarem sistemas na nuvem pública que não deveriam estar lá, simplesmente porque não têm tempo para aguardar os recursos adequados.

Pensando nisso, os fornecedores introduziram planos de pagamento híbrido. O cliente compra um determinado serviço e realiza pagamentos fixos, como em qualquer equipamento. No entanto, o fornecedor oferece um buffer – espaço a mais na memória para armazenar temporariamente os dados. Se o uso do cliente se exceder, um valor adicional é cobrado. À medida que a companhia cresce e começa a usar consistentemente o espaço a mais, a capacidade adicional pode ser instalada conforme necessário. É uma maneira de expandir a nuvem privada sem colocar dados confidenciais na nuvem pública. Veja a seguir os cuidados necessário para a adoção da TI híbrida.

1. Esteja atento aos custos

Embora muitos se concentrem apenas no data center durante a adoção de uma TI híbrida, é preciso considerar os custos com a transferência de dados para a nuvem pública ou privada. Apesar de não serem tão caros, podem impactar o orçamento. O recomendado é ter metas para determinar a eficácia das transições de nuvem híbrida. E, se os objetivos não estiverem sendo atendidos, descubra o porquê.

2. Não esqueça das pessoas

A mudança para a nuvem híbrida não impacta apenas o hardware e o software. Há também um custo inevitável de profissionais. A gestão de um fornecedor de nuvem pública, por exemplo, requer habilidades diferentes daquelas para executar um data center. A equipe de TI vai  precisar de treinamento.

3. Não espere retornos imediatos

Adotar um modelo de nuvem híbrida não significa retornos instantâneos. Custos iniciais envolvendo infraestrutura, adaptação dos aplicativos para uso em cloud privada ou pública, recursos de monitoramento e gerenciamento, treinamento e outras despesas devem ser consideradas.

* Lynn Greiner é escritor de tecnologia.

Saiba mais:
Como fica a segurança da informação com IoT?
Cloud híbrida: 3 passos para montar uma estratégia eficaz
Deep Learning: quando e por que usar

Imagem: depositphotos

Comentários

Notícias Relacionadas

IT Mídia S.A.

Copyright 2017 IT Mídia S.A. Todos os direitos reservados.